Botero e a arte figurativista

Botero e a arte figurativista

Para muitos, pensar na Colômbia é o mesmo que pensar nos históricos conflitos guerrilheiros, ou nas músicas da Shakira, nos livros do premiado Gabriel García, ou até mesmo na talentosa Sofia Vergara, atriz que representa os colombianos e os latinos em geral de forma caricata na série Modern Family (ABC). Além desses nomes, vale incluir na lista o artista plástico Fernando Botero.

Nascido em 19 de abril de 1932 na cidade de Medellín, Botero começou a pintar aos 12 anos. Alguns anos depois, aos 19 anos, ganhou o grande Prêmio Nacional de Pintura da Colômbia e em seguida foi estudar na Europa. Hoje, Botero é o único latino-americano entre os artistas vivos que mais vende em leilões.

Suas obras são inconfundíveis, sua marca consagrada são as formas robustas e redondas. Os principais quadros podem ser encontrados no Museu Botero em Bogotá, capital colombiana. Localizado no centro histórico, no belíssimo bairro da Candelária, aos pés da Cordilheira dos Andes, o museu também abriga obras de outros artistas nacionais e internacionais. Logo na entrada tem a escultura A Mão, de aspecto no mínimo convidativo. O passeio é agradável pelas várias salas e jardins, e muito provavelmente será acompanhado de pequenas excursões escolares, o que mostra a preocupação do governo em fomentar a arte nacional para as novas gerações.

 

 

Botero diz que não pinta gordas, que suas raízes da arte pré-colombiana, disforme e bonita, o atraem:

"Sou atraído pelo volume, a sensualidade da forma. Se pinto uma mulher, um homem, um cachorro ou um cavalo, o faço sempre com a ideia do volume, mas não é que eu tenha uma obsessão pelas mulheres gordas".

Robustas, corpulentas, gordas, não importa, a arte de Botero tem identidade e beleza inquestionáveis.

Site do Museu Botero: http://www.banrepcultural.org/museo-botero